Com a proximidade do inverno, começa também a temporada de pinhão, que é rico em minerais como ferro, cálcio, fósforo, manganês, vitaminas C e do complexo B, fibras e proteínas.

E ao contrário do que muita gente imagina, o pinhão não é uma fruta, e sim uma semente de uma árvore bem brasileira, o pinheiro Araucaria angustifolia, que é comum nos estados da região Sul e em algumas partes do Sudeste do país.

Medindo cerca de 5 centímetros, o pinhão tem uma casca lisa de coloração castanha, que envolve uma polpa saborosa, porém dura, que só amolece depois de ser cozida na panela de pressão ou assada na chapa ou brasa.

Existem várias formas de consumir o pinhão: como petisco, misturado a saladas ou molhos para carnes ou ainda na elaboração de pratos como carreteiro, risoto, farofa, sopa e até pudim. Em algumas regiões também se prepara o pinhão cozido em conserva de salmoura e vinagre.